• Capa de Ryse: Son of Rome Foto de Dry Portes ~(*o*)~ para Ryse: Son of Rome
    no
    One
    em 08 de junho de 2019 às 01:53
    Ryse: Son of Rome. Viva a grande Roma! Ryse é um jogo criado pela Crytek e distribuído pela Xbox Studios sendo um exclusivo para o Xbox One. O jogo foi um dos principais anunciados para a chegada do Xbox, sendo fortemente divulgado na época. Infelizmente ao meu ver o jogo foi injustiçado, não tendo ganho a crítica, recebeu notas abaixo do esperado. Em Ryse Son of Rome controlamos Marius (Mario na tradução), um centurião romano que está lutando contra bárbaros que estão invadindo Roma. Não só controlamos Marius, mas ainda somos capazes de dar ordens a nossas tropas para enfrentarmos os inimigos no campo de batalha. A história nos leva até a Roma antiga, quando Nero detinha o título de imperador. Porém nem tudo segue os fatos históricos neste jogo, pois temos Roma invadindo York (Inglaterra), de onde vem os bárbaros e não só isso, como temos também a intervenção dos deuses acalorando as disputas humanas. Passamos por várias fases da vida de Marius, desde quando ele se torna um soldado até sua ascenção máxima no império e otras cositas más... A história é dividida em oito curtos capítulos, o que eu pode ser bom ou ruim, depende do seu ponto de vista. O jogo tem bastaste Cutscenes o que diminui um pouco nossas horas de jogo. Mas o enredo nos mantem empolgados conforme jogamos, mesmo parecendo que a história é contada de modo um tanto quanto rápido. Ryse tem uma jogabilidade ótima, acreditem em mim! Você ataca, se defende, esquiva, contra ataca e abre a guarda dos inimigos usando o escudo muito bem. Sem atrasos nos comandos ou demora nos movimentos do personagem em si. Funciona muito bem e é fácil de executar os comandos, demandando precisão moderada a alta para executa-los dependendo dos golpes e inimigos eu enfrentamos. Temos a opção de executar nossos inimigos depois de causar um certo dano neles. Uma caveira aparece em cima de suas cabeças e ao usarmos o RT podemos realizar uma execução. Nessas execuções nós podemos mutilar, decapitar, furar, esmagar e muito mais! É um verdadeiro banho de sangue muito satisfatório, ao melhor estilo soldado romano. É bem “like (como)” THIS IS SPARTA! As execuções acontecem em câmera lenta, e uma “aura” na cor azul (X) ou amarela (Y) brilha no inimigo, para que você aperte o botão certo. Quanto mais rápido você o fizer maior será a sua pontuação, variando de recruta, soldado, centurião e lendário, dependendo da sua precisão e rapidez ao executa-los. Isso aumenta o ganho da habilidade que você está usando no momento e a nossa experiência também. Temos uma boa gama de habilidades para ir melhorando, onde vão bem além de só melhorar nossa vida e dano por exemplo. Aproveitando que toquei no assunto das habilidades, vamos descreve-las. Temos vida, dano, foco e ganho de xp. Essas habilidades podem ser ativadas durante o combate usando os direcionais, cada direção (Cima, Baixo, Direita e Esquerda) representam uma delas. Sempre que completamos uma execução ganhamos uma quantidade da habilidade que escolher. Vida, faz com que nossa barra de vida encha, ganhando vida a cada execução. Foco, aumenta nossa barra de foco (Jura?), que é uma espécie de “poder” que temos, ao ativa-lo tudo a nossa volta fica em câmera lenta e podemos matar os inimigos mais rápido e fácil. Com o dano ganhamos cada vez mais “força” para matar os inimigos mais rapidamente. E por fim o ganho de xp, que é exatamente isso, ganhamos mais experiência a cada execução. Experiência essa que usamos para melhorar essas habilidades que eu já citei. Para melhorar nossas habilidades nós podemos usar ouro, que compramos direto na loja da Microsoft ou então juntar heroísmo, que conseguimos matando os inimigos durante o jogo, o que seria nossa experiência ganha durante o jogo. Uma coisa bem legal é que ao comprar os golpes das execuções, eles vão liberando alguns “quadrados” com partes de uma imagem, e ao comprarmos todos os golpes formamos a imagem inteira. Durante nossa aventura não apenas lutamos e matamos qualquer um que entrar em nosso caminho, mas também precisamos muitas vezes chegar até eles. E enquanto fazemos isso nosso caminho é marcado geralmente por panos azuis ou vermelhos, que nos indicam a direção correta. Não que seja um mapa muito amplo que possamos nos perder, mas isso ajuda a não perder tempo, ou se sairmos fora do caminho para pegar algum colecionável, é fácil saber para onde devemos continuar. Maaaaaas assim, o mapa é bem linear na verdade então... Porém com tudo isso as vezes o jogo acaba ficando um pouco monótono por não ter grande variação em sua jogabilidade, é sempre o mesmo, explorar um pouco e matar inimigos. Existe um menu de seleção de capítulos, que podemos escolher a dificuldade em que jogar, onde temos recruta (fácil), soldado (médio), centurião (difícil) e lendário (muito difícil). Isso influencia no tempo em que os inimigos nos atacam, a força e os golpes que eles usam e a vida que tem, fazendo com que tenhamos que dar mais ou menos golpes para mata-los. Uma coisa muito bacana desse jogo são os colecionáveis, que conforme vamos encontrando durante o jogo vamos desbloqueando coisas na “galeria”. Conseguimos os perfis dos personagens, musicas, vistas, que seriam algo como a arte conceitual do jogo e as crônicas de Roma, que são histórias em quadrinhos contando mais sobre o enredo do jogo e os personagens, que devo mencionar é bem bacana, vale a pena caça-las pelos cenários. Algumas dessas coisas já vamos desbloqueando conforme jogamos, outras encontramos espalhadas pelos cenários, nos corpos dos inimigos ou de nossos aliados. Durante o jogo não há muitas telas de carregamento longo, mas sempre que você inicia a campanha ou algum modo do jogo, pode relaxar e esperar pois vai demorar. Tirando a campanha temos um outro modo de jogo também, o Gladiador, onde você deve sobreviver o máximo que conseguir enquanto completa objetivos durante a partida. Que podemos jogar sozinhos ou online, se juntando a outros jogadores para cumprirmos tais objetivos. Você pode ainda personalizar a armadura de seu gladiador, na aba herói. Conforme ganha níveis jogando no modo gladiador, isso vai desbloqueando partes das armaduras que lhe concedem melhores atributos e mudam a aparência de seu gladiador. Obviamente você ainda pode comprar Skins na loja da Microsoft para personalizar ainda mais seu gladiador. Muitos mapas e modos diferentes de sobrevivência devem ser adquiridos na loja da Microsoft, ou seja, vai ter que gastar uma boa grana comprando os mapas mais legal e as armaduras também. Uma coisa bem interessante é que o menu inicial é o mesmo do menu de pause (Pausa), ou seja, não temos que usar aquele famoso “Sair para o menu principal?” para voltarmos as configurações, ou olhar a galeria, ou ir até mesmo para outro modo de jogo. Basta dar pause e ai escolher o que quer fazer. Literalmente tudo está ai neste menu, seja na tela inicial quando entramos no jogo ou na hora que damos pause. Quanto aos cenários, eles são bonitos e bem construídos deixando a gente babando em algumas partes. Passamos por cenários desde cidades, florestas, pântanos, a coliseus e palácios, é cada lugar mais incrível que o outro, acreditem. Os inimigos e personagens também são bem feitos, porém no caso dos inimigos não existe grande variação deles, são sempre os mesmos “modelos” por assim dizer. Mas os detalhes nas Cutscenes principalmente estão formidáveis, lindo de se ver! Uma das coisas mais marcantes de um jogo com certeza é sua dublagem, e olha galera, essa dublagem de Ryse está simplesmente INCRIVEL! Repleta de dubladores profissionais e grandes nomes da NOSSA dublagem, sim minha gente totalmente dublado e legendado em português. Dentre esses nomes que disse temos Miriam Ficher, que dublou diversas vezes as atrizes Nicole Kidman e Drew Berrymore, Winona Ryder entre outras, fora ter feito a detetive Lily Rush em arquivo morto, Jane no desenho do Tarzan, Botan em Yu Yu Hakusho entre vários outros personagens. Temos também Marcio Simões, um grande veterano e imenso talento da nossa dublagem, conhecido por dublar Samuel L. Jackson, Wesley Snipes, Alec Baldwin em diversos filmes e ainda fez a dublagem de personagens como Hercules no seriado de mesmo nome (Aquele que foi derivado de Xena a princesa Guerreira), Tyrion Lannister em Game Of Thrones (Até a 5ª temporada), Patrick Jane em The Mentalist. Tambem já tinha feito outras dublagens em games, como o personagem Nathan Dawkins (Willem Dafoe) em Beyond Two Souls, Tyrael em Diablo 3, Shaco em League of Legends e ainda é a voz do Patolino nos desenhos pra quem não lembra (Ou não sabe)! Não vou citar todo o elenco pois ficaria muito extenso, mas todos merecem estaque! A dublagem e localização ficou a cargo do Loga Studio, um estúdio do Rio de Janeiro especializado em dublagem e localização de games. E olha fizeram um ótimo trabalho! Ah sim, e por fim, mas não menos importante temos a trilha sonora! Que olha está muito boa também! As melhores partes das músicas deste jogo com certeza são quando estamos em algum momento de tensão, enfrentando algum inimigo importante ou parte decisiva do jogo. O melhor de tudo com certeza é poder conferir no menu as músicas de cada parte que passamos do jogo e é uma melhor que a outra! Infelizmente a trilha sonora não está disponível no Spotify para podermos deleitar delas a qualquer momento.
  • Capa de Days Gone Foto de Abranches Julian para Days Gone
    no
    PS4
    em 24 de junho de 2019 às 05:27
    Days gone prometia e não era pouco. A imprensão que a Bend Studio deixou é que não conseguiu finalizar o game. Além de todos os problemas técnicos, de bugs (legenda traduzida errada, som que não sai, travamento de tela, missão que não inicia), o game é repetitivo e não é pouco repetitivo, é muito, você precisa fazer as mesmas missões (essas que intercalam entre principal e secundária) um monte de vezes até entediar, onde em alguns casos é usada as mesmas frases prontas em algumas atividades pelo mundo aberto; esse que é vazio e sem vida. Algumas coisas dão a impressão que não foram bem executadas apenas jogadas ali. Nem a originalidade da criação das hordas e do carisma de Deek conseguem fazer Days Gone brilhar. Se você se contenta com uma campanha mais do mesmo onde a maioria dos seus objetivos vai ser ir em busca de alguém que sumiu ou sair exterminando acampamentos inimigos; DG é uma boa pedida, e vai ter proporcionar diversão. Agora se você curte algo com mais brilhantismo, criatividade e dinâmica definitivamente em poucas horas você vai se sentir entediado e de saco cheio. Longe de ser um game excelente e bem desenvolvido.
  • Capa de Mega Man 11 Foto de Só queria zerar um joguinho para Mega Man 11
    no
    PS4
    em 14 de maio de 2019 às 10:48
    Por incrível que possa parecer, Dr. Willy e Dr. Light já foram companheiros de laboratório, trabalharam juntos por muito tempo, até que o projeto Gears foi recusado pelo grupo de cientistas, fazendo com que o revoltado Dr. Willy desistisse de tudo e todos, se tornando o tão maléfico cientista louco que conhecemos hoje, sempre com tentativas de dominação mundial. O jogo possui quatro níveis de dificuldade, vai de "Newcomer", onde os inimigos estão mais fáceis de matar, os espinhos não matam o Mega Man e entre outras coisas que facilitam bastante, realmente para que não sabe jogar nada. Junto com mais dois níveis, "Casual" e "Normal", onde não a tanta dificuldade, bom para quem não é viciado e não tem tudo decorado. Agora se já está bem familiarizado com o jogo e claro os Gears, o nível "Superhero" é perfeito pra passar muita raiva e perder muitas vidas, nessa dificuldade quase não é encontrado Life, muito menos HP, no máximo vai encontrar os parafusos, que é o dinheiro do jogo, se for escolher esse, apenas boa sorte. Como dito acima, é preciso usar parafusos para comprar na loja, os itens variam de Itens como 1-Up a E-Tanks e Suportes que podem te ajudar nos espinhos a até te trazer de volta em buracos. Já também é possível comprar Parts, elas podem ser equipadas para ganhar benefícios nas fases, como ficar fixo no gelo sem escorregar, ou até achar mais itens de HP durante a fase. Para pegar todos os itens vai precisar de muito tempo buscando parafusos. Logo que inicia o jogo, é preciso escolher uma entre as oito fases possíveis, cada uma delas possui um sub-chefe e chefe, todos com um poder diferente entre terra, fogo, gelo e etc, nisso basta imaginar que cada um deles tem uma fraqueza, sendo ela o poder do seu respectivo "rival". Cada chefe das fases tem um poder aumentado pelo Gear quando chega um certo nível de HP, tome bastante cuidado, cada golpe desses tira muita energia, quase levando a perder a vida do nosso querido Mega Man. Até então exclusivos de Mega Man 11, os Gears já foram comentados em quatro tópicos, mas o que seria isso? Como usar? Onde vivem? Calma que vai ter a sua resposta logo mais. Os Gears nada mais são que auxiliares temporarios de velocidade ou poder durante as fases. São dois tipos que existem, o Speed Gear que diminui a velocidade do jogo para ajudar em partes rápidas ou também esquivar dos golpes rápidos dos chefes, tudo vai dependendo da sua imaginação. O segundo é o Power Gear, esse aumenta muito o efeito dos especiais ganhos nos chefes e principalmente do Buster, que se deixar encher até o máximo com o PG sai um tiro muito poderoso, quase um Hadouken. Mas isso tudo não é infinito, a um tempo limite de quando está usando os Gears, desde que não deixe acabar a bateria, ele recarrega, mas se carregar até ficar vermelho o Gear quebra e o Mega Man não pode mais usar por um tempo durante a fase. Na loja tem um item que faz com que não precise recarregar mais, mas só libera depois de muito tempo, fora que gasta muitos parafusos. Algo que vem desde os primórdios da série Clássica de Mega Man é a famosa rasteira ao apertar para baixo e pulo. Nesse não foi diferente, também existe, mas agora pra ajudar a fazê-la, nas opções é possível modificar os botões, escolhendo algum fixo só para ela e até mesmo um botão para o Rapid Shot, onde se da vários tiros em sequência, mas sem carregar o Buster. Outra jogabilidade inicial que tem no jogo é o Rush, o cachorrinho robô do Mega Man, nesse o modo Jump já está liberado e funciona igual as outras Weapons onde a arma pode acabar se usar muito. Outro Rush que é ganho apenas depois de passar algumas fases é Jet, nesse modo o Rush se transforma em uma prancha voadora, ajuda muito pra escapar de precipícios. A trilha sonora está ótima, muitas das músicas lembram os jogos da década de 90, com simplicidade e emoção. Uma das melhores é a da última fase, antes do Dr. Willy. Algo interessante é que o jogo possui diálogos, não são tantos, mas existem na loja, os chefes e claro o Dr. Willy e Mega Man. Os gráficos estão fenomenais, com um estilo 2.5D, as fases possuem planos de fundo lindos, os inimigos estão mais detalhados e claro, os chefes estão magníficos, cada movimento pode ser visto nitidamente, cada um com a arte mais bonita que a outra. Logo na tela inicial do jogo tem também o Extra Mode, nele tem o estilo Challenge com varios desafios, entre ele tem os de passar a fase com o menor tempo, derrotar os chefes no tempo limite e até de coletar moedas, entre outros bem divertidos e desafiadores. Além desse modo, tem também a Gallery, com a imagem de todos os inimigos do jogo, fora os chefes que ficam mais lindos ainda em tamanho maior, também é possível ouvir os diálogos deles, cada um possui mais de 20 tipos, até mesmo o último chefe, Dr. Willy. Recomendo muito este jogo, vale muito a pena tanto para os fãs da franquia que estavam com saudades do jogo ou até para começar a se aventurar com o azulzinho mais querido da Capcom.
  • Capa de Tales of Vesperia: Definitive Edition Foto de Durval Pessoa para Tales of Vesperia: Definitive Edition
    no
    PS4
    em 25 de abril de 2019 às 21:40
    Excelente jogo para quem curte JRPG. Personagens cativantes, história empolgante, sistema de batalhas divertido e muitas, muitas coisas para se fazer. Essa versão tem muitas adições em relação à do XBOX360, então mesmo que você tenha jogado antes, garanto que será uma nova experiência. E o melhor de tudo: um RPG com um conteúdo gigantesco de texto totalmente em português. Coisa rara para jogos desse tipo.
  • Capa de Monster Hunter: World Foto de Amilcar de Oliveira para Monster Hunter: World
    no
    PS4
    em 09 de junho de 2019 às 21:59
    Como la vem DLC, resolvi fazer esta análise. O jogo é uma febre, sendo o título mais vendido da CAPCOM. No entanto, muito desse sucesso está na formula do game: se arme adequadamente para cada batalha, rastreie o monstro, persiga-o e mate-o/capture-o. Faça isso centenas e centenas de vezes, algumas delas com amigos. Pronto: pegue sua recompensa, melhore armas e armaduras e parta para a próxima batalha. Ha uma serie de desafios diários, eventos temporários, milhares de coisas para coletar, combinar, comprar e vender, o q exige muuuuuita dedicação e tempo. Os gráficos são bons, mas não excepcionais. O mesmo diga-se do som. A jogabilidade é boa, mas muitas vezes, durante uma luta, os comandos não funcionam com perfeição, ficando difícil acertar o monstro. Como dito, na verdade, o jogo fez muito sucesso pela fórmula, que tem um sistema de progressão com recompensas, que acaba viciando. Assim, vc gasta centenas de horas buscando matar um monstro para se tornar mais forte, conseguir outra armadura e, ai, matar um monstro mais poderoso. Se vc gosta desse estilo, Monster Hunter World é seu game. Não espere uma boa campanha, enredo elaborado, interpretações marcantes, muitas variações de missões, etc., pois, como dito, o foco é caçar diferentes monstros. Apesar de ser repetitivo, vale a pena experimentar.
  • Capa de Sonic Mania Foto de Só queria zerar um joguinho para Sonic Mania
    no
    PS4
    em 11 de junho de 2019 às 20:58
    Sonic, Tails e Knuckles estão vivendo a pacata rotina de sempre, até que o Dr. Robotnik decide mais uma vez atrapalhar a tranquilidade de todos no intuito de dominar o mundo. Dessa vez ele rouba uma pedra que domina o espaço e tempo, mandando seus inimigos para longe, mas será que só isso é suficiente para se livrar de Sonic e seus amigos e efetuar seus planos do mal? Depois de longos anos de espera, Sonic Mania chegou para saciar a vontade dos fãs da franquia, trazendo um jogo de pura nostalgia, com algumas das melhores fases dos games antigos, tudo com o estilo dos jogos da geração 16 bits. Aqui temos três personagens jogáveis com quatro estilos de jogo, sendo eles: Sonic e Tails juntos, mas nesse modo apenas Sonic é jogavel, sendo que Tails fica correndo ao lado e por sorte não é tão inútil quanto parece, caso ataque algum inimigo ou até os chefes, também tira dano, ocorre o mesmo com os anéis. Faltou só um botão de troca para jogar tanto com Sonic ou Tails no mesmo modo. Knuckles também está no jogo e é um dos mais divertidos de jogar, com ele é possível escalar as paredes e planar pelos ares, mas se quer voar mesmo, escolha o próximo personagem que será citado. Tails, ao contrário do primeiro modo, aqui Sonic não está junto, mas calma, esse danado amarelo também tem alguma habilidade, depois que pular se apertar o pulo novamente, a calda começa a girar e Tails voa. Caso não queira nenhuma dessas habilidades, tem também o modo apenas com o Sonic, este considero o mais difícil, mas é perfeito para quem busca desafios maiores ou reviver os jogos apenas com ele. Quem conhece Sonic, sabe o quão veloz e difíceis são seus jogos, neste não é diferente, principalmente pelo número gigante de fases. São 12 "mundos" com 2 atos em cada um deles, no total são 24 estágios. Agora apenas imagine zerar sem perder nenhuma vida, ou até mesmo sem nenhum "continue", afinal os jogos antigos se perder todas as vidas, retorna para o início do jogo. Mas pode ficar relaxado, aqui existe o Game Over sim, mas por sorte é possível retornar do mundo onde perdeu. No decorrer do jogo, vai se deparar com vários anéis dourados espalhados por todos os cantos das fases, eles nada mais são que a Energia do personagem. Isto é, se tiver sem nenhum e tocar em algum inimigo vai morrer na hora, mas se possuir 1 ou mais vai sobreviver, mas vai perder todos que possuía, literalmente ver todos voando para longe. Apenas imagine ter 99 anéis, faltando apenas 1 para conquistar aquela sofrida Vida, tocar em alguém e ver tudo indo pelos ares, é muito frustrante. Gostaria de destacar uma luta contra o Robotnik que ao invés de sair na porrada um contra o outro, os dois tem um enorme duelo no estilo Tetris, isso mesmo, aquele jogo maravilhoso que é preciso juntar 4 peças da mesma cor, fazendo isso faz com que caia bolas pretas no lado do inimigo para atrapalhar, então seja rápido e boa sorte. Outro detalhe que sempre deixa a todos que jogam muito aflitos, são as fases com água, nelas para quem não conhece, o personagem não consegue respirar embaixo d'água, apenas por algum tempo, nisso quando esta de boa jogando e faltam 5 segundos, começa uma música que mesmo estando próximo da bolha que restaura o ar, bate uma aflição enorme. Se quer proteção além dos anéis dourados, também existe o que chamo de "televisões" com alguns poderes, como a de fogo que ao pular é possível dar um Dash que faz até alguma coisas no cenário pegar fogo. Uma Bolha de ar, essa é perfeita para fases na água já que deixa o personagens respirar tranquilo sem aquela correria toda. Uma Bolha de choque que puxa todos os anéis dourados como um Imã, a melhore de todas que contém uma Vida e a mais terrível com o Robotnik, está faz com que perca todas as moedas, cuidado com ela. Como as fases de Sonic Mania são gigantes, todas elas possuem Checkpoints, mas não só isso, em cada um deles é bom ficar atento, pode aparecer um bônus stage, então cuidado para não sair correndo feito louco e passar direto. Este Bônus possui um visual em 3D. Aqui é preciso pegar todas as bolas azuis para conquistar a moeda de prata ou pegar junto os aneis dourados e conquistar a moeda de ouro, com elas pode ganhar Extras no Menu Mode. Para pegar as 7 esmeraldas coloridas, basta procurar pelos bônus escondidos pelas fases, eles estão em forma de Anéis gigantes. Aqui basta perseguir um OVNI pra pegar a esmeralda, mas Sonic não está veloz o suficiente, é preciso pegar as bolas azuis para aumentar a velocidade, mas tome cuidado tem tempo para isso, para aumentar um pouco o tempo só pegar os anéis (Sonic vive de anéis), além disso tome cuidado com os buracos. A trilha sonora está fantástica, várias ótimas músicas dos jogos antigos estão aqui (Green Hill Zone) e outras novas também. Os efeitos dos inimigos morrendo permanecem no estilo 16 Bits, com sons simples e que não deixam de trazer nostalgia. A história já era de se esperar que não fosse o grande foco do jogo, mas é um ponto a parte já que com ótimas músicas, jogabilidade variada entre os personagens e gráficos no estilo 16 Bits, Sonic Mania está muito bonito e é a prova de que jogos neste estilo ainda funcionam mesmo nos dias de hoje. Recomendo.
  • Capa de LEGO Batman 3: Beyond Gotham Foto de Guilherme Souza Guimarães para LEGO Batman 3: Beyond Gotham
    no
    PS4
    em 25 de abril de 2019 às 22:43
    Recentemente joguei este game e digo,o game é bom mas muito enjoativo, poderia facilmente ser um dos melhores jogos de lego, porém, falha no principal a diversão. O game se trata de uma 3 continuação de uma série de jogos lego, o game tenta nos levar ao espaço, ele só tenta , não tem um seguimento muito bom, apesar da dublagem estar muito Boa, ele é enjoativo e pode ser deixado de lado facilmente. A história circunda na dominação de planetas de brainic o vilão da história, batman e Robin passam por aventuras contra seus vilões q se juntam a eles para derrotar este psicopata, o game tem gráficos bons e dublagem excelente mas falta um enredo mais humano e Real, vilões dos mocinhos São personagens secundários de uma péssima trama do tal..protagonista brainic... A platina do game segue a mesma regra dos outros jogos da série, termina às fases, pega os minikits,pegue os blocos dourados e vermelhos , todos os Adam West e personagens. Resumo:Jogo bom porém nada divertido, deixando tramas boas de lado assim se tornando um jogo enjoativo, o que se salva no game São os gráficos e a dublagem... Game nota 8,5 de 10 Dificuldade para platina 49/100
  • Capa de Tales of Berseria Foto de Durval Pessoa para Tales of Berseria
    no
    PS4
    em 25 de abril de 2019 às 21:44
    Quem curte um jogo com uma história envolvente e personagens super bem desenvolvidos, Berseria é um prato cheio. Antes que perceba, você já terá rido, chorado, ficado com raiva e com esperança. Você vai se pegar torcendo pelos protagonistas, enquanto desfruta de excelentes gráficos no estilo anime e batalhas intensas, cheias de combos e magia.
  • Capa de Battlefield V Foto de Amilcar de Oliveira para Battlefield V
    no
    PS4
    em 09 de maio de 2019 às 21:06
    Jogo BF desde BF2 - Bad Company. Na minha opinião, é melhor franquia de jogo de guerra (FPS) do mercado. Visivelmente voltada para o multiplayer, sua campanha é apenas interessante. No BFV, tive a impressão de que a resolução gráfica foi reduzidas, visando melhorar a jogabilidade. A diferença para BF1 é gritante. O jogo está mais elétrico, rápido, frenético, o q tb não me agradou. Um descuido, um tiro...bum...vc está morto. Comandos de pelotão tb estão bem mais difíceis de se fazer. Em contrapartida, inovações como customização, necessidade de jogar para o pelotão, battle royale, interações com o ambiente, munição limitada, etc. trouxeram um ar novo ao jogo. Enfim, este é um jogo multiplayer q vai agradar mais aos fãs fiéis da franquia.
  • Capa de Days Gone Foto de Amilcar de Oliveira para Days Gone
    no
    PS4
    em 11 de maio de 2019 às 12:56
    Jogo prometia muito, mas, no final, criou um mistura não tão competente de Horizon Zero Dawn e RDR2, em uma ambientação pós apocaliptica. Inclusive, se comparado a esses dois clássicos, deixa a desejar em gráficos, som, jogabilidade e diversão. É que as vezes fica um pouco repetitivo/cansativo, pois as missões são quase sempre as mesmas e não há muito o que se fazer/interagir no mundo aberto. (Fiquei mal acostumado com RDR2). De fato, a gameplay não é muito variada. O jogo possuía bugs, mas sua maioria ja foi consertada em patches de atualização. Hoje, não encontro quase mais nenhum. Outro problema é a queda de FPS, que ocorre com frequência. Por outro lado, a historia é muito boa e os personagens extremamente carismáticos, o que garante muitas horas de jogatina. A medida que vc avança no jogo, ele se torna melhor e melhor. Sem perceber vc vai pegando gosto pelo game, que tem um início meio travado. A melhora se dá ao enredo, ao sistema de progressão, ao ganho de habilidades e às novas armas. Se vc for fazer tudo o que o jogo oferece, gastará mais de 60h no gameplay. Quando achar que o jogo esta acabando...surpresa: la vem mais jogo. O jogo é bem longo, o que é um ponto bastante positivo. Mas os destaques ficam por conta da história (que é muito boa), para as ótimas interpretações, para a durabilidade do game, para o enorme mapa e, principalmente, para as hordas de freakers, que garantem um emocionante desafio. Se vc curte um jogo longo de mundo aberto, ambientação pós apocalíptica e zumbis, pelo preço certo vale a pena experimentar. Hoje, após finalizar a campanha, considero Days Gone um ótimo jogo, que vai te surpreender com o tempo.

Nota do Game

Nos acompanhe!