Bem vindo ao Nota do Game

Descubra se o game que você está a fim vale a pena!

  • Esta análise contêm spoilers

    Bendy and the ink machine, é um jogo que foi muito esperado para ser terminado, o jogo se baseia num antigo funcionario da joey drews studios, que foi convidado a ir pro estudio por uma carta de seu chefe joey, mas no meio da sua procura do joey, você acaba conhecendo uma entidade de tinta chamado bendy, que por algumn motivo criou vida e está querendo te matar e te transformar em uma criatura de tinta. o jogo é otimo, tem uma historia muito bem escondida, porem o objetivo é meio clichê (mas é perdoavel, porquê a maioria dos jogos de terror são assim), eu só acho que o terror some um pouco quando voçê ganha uma arma, e quando conhece allison e thomas você se sente mais acolhido, e do nada o jogo sai do terror para um pouco de ação. o jogo é ótimo, eu sinceramente recomendo mas que esse jogo tem pecado, não tem o que discutir.
  • Achei que o jogo fechou a desejar. A experiência do game não satisfaz por completo o desejo e a ansiedade da espera por um jogo clássico como foi seu antecessor.Mais ou menos dar pra levar ,pela a jogabilidade , mais a campanha e muito curto deixando o jogador frustado pela falta de conteúdo que poderia deixado o jogo muito mais atrativo e excepcional aos jogadores e fãs de residente evil.
  • Garou Mark of the Wolves não chama tanto a atenção por ter personagens pequenos (vejam bem, Ninja Masters e Rage of the Dragons, também dos arcades MVS, têm lutadores pequenos, porém a jogabilidade dos dois compensa e muito em relação ao tamanho dos chars), não tem planos de luta (como Fatal Fury), tem a jogabilidade muito parecida com a de Street Fighter 3 (com pulos pequenos e sistema Just Defend - que defende golpes sem causar dano), tem poucos personagens (dez e mais dois desbloqueáveis - Grant e Kain) e apenas um clássico - Terry Bogard. Marco Rodriguez ("Butt" na versão americana, com golpes vindos de Art of Fighting, pois é discípulo de Ryo Sakazaki e seu dojo) representa o Brasil. Como novatos destaco os dois filhos de Kim Kaphwan, o filho da união - até que enfim - de Mai com Andy (Hokutomaru), um cara que lembra muito Iori de KoF (Freeman) e o protagonista Rock Howard (filho deserdado de Geese). O golpe da barra vermelha (T.O.P) não compensa e nem é bonito de se ver. Já como ponto positivo considero que os cenários estão bem feitos, com muita movimentação e efeitos que "lembram" o 3d. As músicas também são muito boas. Por todos estes motivos considero Garou MotW um jogo intermediário
  • Ele é bom, achei o ponto forte a jogabilidade, bem fluída e boa com os 4 personagens. A esquiva funcionou muito bem, a mira é mais realista que dos outros RE, os gráficos são bons, não gostei do jogo ser separado em capítulos e ter que comprar cada um deles, a história é mediana comparado aos outros, aceitável por não ser um jogo da franquia principal. Pontos Fracos: Repetição de inimigos, repetição de cenários (parecia que eu estava no mesmo lugar o tempo todo), compreensível por conta do investimento nesse game ter sido menor que os da série principal.

Nota do Game

Nos acompanhe!