Dark Souls III

14 anos RPG de Ação Bandai Namco Entertainment 2016

Com o fogo se apagando e o mundo caindo em ruínas, você precisa se aventurar em um universo repleto de inimigos e ambientes colossais. Jogadores entrarão em um mundo de trevas e atmosfera épica, com uma jogabilidade mais ágil e combates mais intensos.

Critérios de Avaliação

Critério Nota
Áudio
Visual
Jogabilidade
Campanha
Diversão

Avaliadores

Ver todas as avaliações (73)

Notas por Plataforma

Plataforma Nota Total Distribuição
PS4 PlayStation 4
37
36
1
Win Microsoft Windows
29
28
1
One Xbox One
7
7
Exibir plataformas sem nota

Análises

Avalie o jogo para escrever uma análise

Foto de Guilherme Guilherme
no
PS4
há 4 anos
Dark Souls 3 se mostra um excelente game ,sendo melhor que seu antecessor, e abaixo do Dark Souls 1, primeiramente seu level designe é mais vivo do que Bloodborne e com muito mais nitidez e contraste em certas áreas, cada canto é muito bem detalhado e ajuda a contar sua história, seus inimigos possuem um visual perturbador e muito belo, seus chefes são, em geral, bem fáceis (com exceção do último secundário) e sua história fecha bem a trilogia, com vários easter eggs para os fãs da série, sua jogabilidade teve diversas melhorias como os ataques mais ágeis e sua nova barra de MP, em geral Dark Souls 3 é um jogo que possui uma densa história com inimigos fortes mas chefes que de vez em quando deixam à desejar, com gráficos muito bonitos e um cenário devastador.
Um jogo curto que sofre com a falta de originalidade e identidade própria, não há maneira melhor de descrever Dark Souls 3. Trata-se de mistura entre bloodborne e dark souls 1, os dois títulos mais queridos dos fãs da série, parece um conto de fadas ou um sonho realizado, mas a realidade logo vem bater a porta. O level design deixa muito a desejar pouco se diferenciando de dark souls1 mas ao mesmo tempo é um pouco mais "enfeitado" para tentar chegar aos pés de Bloodborne. Isso deveria ser algo positivo, mas a mesmice é tanta que deixa o jogo enfadonho, não há nenhuma fase que se diferencie do que já vimos em dark souls 1 e 2. Ele traz de volta várias armas e armaduras de dark souls1, o que também poderia ser algo positivo se não fosse pela falta de armas e armaduras novas e exclusivas de dark souls 3, não há quase nada de novo, nada que o jogador já não tenha visto em dark souls 1. Isso para não falar nos inimigos, chefes, subchefes e mobs. Eles possuem um design pouco original/pouco diferente do que já vimos em dark souls 1, o jogo inclusive reaproveita mobs de dark 1 e 2, como os black knights, os silver knights, os drakeblood knights entre outros. E os inimigos q não reaproveitados de dark 1 e 2, são reaproveitados de bloodborne, mesmo move set,apenas outra skin. A trilha sonora do jogo é medíocre se comparada a dark 1 e bloodborne, especialmente bloodborne. Os pouquíssimos chefes que o jogo tem também são ruins, com design fraco, lore ainda pior, e nenhuma originalidade o único chefe minimamente interessante e desafiador, nameless king, é um chefe opcional. Um dos chefes principais da história, Yorhm, the Giant, não passa de uma cópia esdruxula de uma boss fight de Demon Souls, Storm King. O jogo ainda conta com o pior chefe de toda série, Deacons of the deep. Se for para fazer um jogo com tão poucos chefes que tal não disperdiçar fazendo um chefe tão ruim. Alguns mapas podem até ser grandinhos, mas o jogo desperdiça muito espaço, vide smoulderig lake, cathedral of the deep, farron keep por exemplo. Os mapas são tão mal aproveitados que chega a incomodar e nenhum consegue ser tão belo e detalhado como os mapas de Bloodborne. A uníca coisa que dá pra elogiar no jogo é a movimentação do seu personagem no jogo que é bem melhor e mais suave que dark souls 1 e 2, bem semelhante a movimentação de dark souls 1, porém melhor em todos os aspectos. As weapon arts também são uma adição legalzinha, mas que não se compara as trick weapons, as hunter tools e as armas de fogo de Bloodborne que foram uma verdadeira revolução sensacional e sem precedentes. Outro problema gravíssimo do jogo é que não ocorre nenhuma mudança no new game +, ao contrário de seus antecessores dark 1 e 2 em que apareciam novos inimigos, dark phantoms etc. Em bloodborne o player pelo menos não sentia esse problema graças as severas alterações que o jogo sofre de acordo com a quantidade de insight do seu personagem. Em suma o jogo é curto, não traz nenhuma novidade e sofre com uma terrível falta de identidade própria, não se destaca de nenhuma forma e não supera nenhuma de seus antecessores em qualquer aspecto, nem demon souls, nem dark 1, nem dark 2 e muito menos bloodborne. É o título mais fraco da fromsoftware até o momento.
Foto de Nicholas Rubim Nicholas Rubim
no
PS4
há 3 semanas
Dark Souls 3 tem diversos pontos negativos, começando pelo gráfico, que é muito bonito, mas acho que escolheram a engine errada para o jogo, e a razão disso é bem simples, por ser a mesma engine de Bloodborne (provavelmente), muitos efeitos ficaram estranhos, como o fogo por exemplo, ao atingir um inimigo com uma piromancia, ao invés de fazer som de chamas, emite um som de sangue (WTF?), e o mesmo vale para os feitiços também. As magias ficaram terrivelmente nerfadas, o level design das áreas são muito monótonos, quase não há diferenças de defesa e mobilidade entre as armaduras, não dá para melhorar as armaduras e o jogo é linear até demais. Mas por outro lado, o jogo possui uma lore incrível, uma jogabilidade melhorada em relação aos anteriores, tem as melhores armas da trilogia, e os chefes são dos mais incríveis que eu já vi em um game. A trilha sonora também não deixa a desejar, e posso afirmar que ele encerrou muito bem o ciclo do fogo. Dark Souls 3 pode não ser tão bom quanto o 1, mas pelo menos ele foi MUITO superior ao 2, e ainda teve duas dlcs no qual uma delas foi incrível. Em suma, Dark Souls 3 é um game consideravelmente desbalanceado e com level design fraco, mas com uma história, trilha sonora e gráficos muito bons, e claro, extremamente divertido.
Ler todas as análises (8)

Nota do Game

Nos acompanhe!