• Capa de Counter-Strike: Source Counter-Strike: Source
    no
    Win
    há 5 meses

    Consegui o CS:Source pelo Valve Complete Pack quando tava na promoção de fim de ano, de mais de 100 conto foi pra uns 20, 15, então não perdi tempo e logo peguei. Nesse pack vem literalmente todos os jogos que a Valve fez até hoje, cara, e só por causa dele que eu finalmente consigo jogar CS de forma... não ilegal? Eu não tinha dinheiro tá bom NÃO ME JULGUE! Mas então, o jogo é bom? Olha, sendo sincero, eu tenho que falar bastante coisa pra poder di- sim ele é bom ele é MUITO BOM. Extremamente divertido, joguei isso por HORAS A RODO quando comprei o pack, com 50 e poucas horas de jogo (talvez não seja muito mas pra mim é ok me deixa) e MUITA frustração também por morrer várias e várias vezes consecutivas, mas como todo jogo é só uma questão de tempo até você se adaptar aos controles e, com treino, começar a mandar bem no game. Fiz uns amigos ali e aqui enquanto jogava, ao mesmo tempo que acabei entrando em contato com uns maluco chatão tóxico desagradável que só a p#rra, mas faz parte, é impossível se livrar desses caras, então é só questão de aceitar mesmo. Tudo no jogo é daora, sério, as armas são diversas, os gráficos lindos, muitos mapas, controles bons, diversão imensa e a sensação de evoluir e começar a jogar bem é MUITO satisfatória! Recomendo? Totalmente.

  • Capa de Medal of Honor (1999) Medal of Honor (1999)
    no
    PS1
    há 6 meses

    Acabei de terminar de zerar e MEU DEUS, QUE JOGO! Cara, eu jogava Medal of Honor com meu irmão quando moleques no nosso PS1 Fat da época, então quando eu vi ele na lojinha do centro que eu vou pra comprar uns jogos novos de PS2, eu não pude resistir. E o que eu posso dizer da experiência? Foi sensacional, simplesmente. Como eu sou um estúpido que gosta de se pagar de gAmE rEvIEeWer eu vou fazer uma separação dos pontos negativos e positivos, começando pelos positivos. Positivos: A primeira coisa que eu vou falar sobre positivamente são os gráficos, porque meu amigo, se tem algo que eles mandaram MUITO BEM, principalmente pra época, foram nos gráficos. São muito bons, sério. Pra época, ainda mais no PS1 esses gráficos deviam ser o PICO do realismo nos consoles, porque os modelos são todos muito bem feitos, com as armas sendo muito bem modeladas, as ambientações, variando de florestas até fortes de baixo da terra (sim tem isso e é muito daora) são muito f*das (perdão o palavreado mas não tenho palavra melhor pra descrever KKKK), e na moral só esse menu com os caras olhando pro mapa me dá uma nostalgia enorme. Outra coisa que eles mandaram bem de mais foi na trilha sonora, sem dúvida alguma. Cara, as músicas desse jogo são marcantes DE MAIS. TODAS elas são muito bem compostas e papo reto, em geral, são MUITO LOUCAS! Frenéticas de mais. Agora, os controles são algo que eu vou babar MUITO o ovo dos devs pra SEMPRE. Cara, são tão, mas TÃO fluídos, que se for comparar até mesmo com a jogabilidade do port de X360 de FAR CRY 2, um jogo lançado em 2008, consegue dar uma superada, sem exagero. Tendo jogado MUITAS vezes o FC2 no 360, várias foram as vezes em que a jogabilidade deixou a desejar um pouco, com principalmente a mira sendo extremamente dura as vezes, mas no Medal, isso é totalmente diferente, e olha que estamos falando de jogos de gerações MUITO distantes. No Medal, quando tu mira, ao invés da sua visão ir pra literal a mira da arma, aparece uma crosshair vermelha no meio da tela, sendo possível usar o analógico direito pra movimentar a mira da arma livremente. Cara, isso é MUITO satisfatório e bom de controlar, com a mira sendo extremamente fluída e só a sensação de metê-lhe um headshot usando essa mira é muito bom, mas maior que isso é metê-lhe um head SEM a mira, isso não tem preço. E falando nisso, as mecânicas são muito daoras também! O jogo te muda de armas toda a hora praticamente, fazendo com que tu nunca fique sempre usando só a M1 Garand, por exemplo, ou a BAR. As armas vão desde as próprias M1 e a BAR, à Shotgun, Thompson e até mesmo uma BAZUCONA MONSTRA. Além disso, o jogo vai pra vários lugares em situações diferentes, te fazendo ter que mudar as táticas de atirador insano pra alguém mais stealth. Como ele faz isso? Te fazendo se INFILTRAR na base dos alemães, tendo de mostrar seus documentos falsificados caso algum soldado peça. Nessas fases, o jogo te equipa com uma pistola silenciada, o que aumenta mais a satisfação de meter um headshot em algum inimigo, e também te coloca no lugar da arma principal, os documentos. E se lembra, SEMPRE explora tudo o que der, sempre tem mais uma caixa de munição ou um medkit te aguardando em algum lugar da fase, ou até mesmo, um objetivo mais escondido! A IA do jogo não é nada mal, nada mal mesmo! Eu particularmente senti que os inimigos foram ficando cada vez mais espertos conforme o jogo ia passando, sabendo mais das minhas táticas e etc, mas talvez isso seja só minha impressão. Uma coisa que eu particularmente achei muito daora é que, quando você joga uma granada, ou os inimigos fogem, o que é algo normal, ou eles pegam a tua granada e jogam de volta pra ti, e eles fazem isso ou agachando ou metendo uma bicuda na granada HDUASHDASHD eu sempre acho engraçado quando o NPC faz isso, não sei porquê. Mas bem, acho que é só isso dos positivos, agora pros negativos! Negativos: Olha, se tem uma coisa que esse jogo quase não tem são erros, mas eles existem, e são GRITANTES às vezes. Começando pelo menos irritante até o MAIS irritante, temos o problema da draw distance, o que não seria tããão problema assim visto à época. PS1 né cara, hardware já devia estar quase estourando de aguentar tudo de f*da que esse jogo tem, então suportar uma draw distance maior, fora de questão. Mas a partir do momento em que os inimigos conseguem atirar em ti FORA do seu campo de visão, e ainda por cima, NA SUA FRENTE, aí sim é frustrante. E isso não acontece pouco não, viu? Acontece com MUITA regularidade, principalmente na fase da floresta, ESSA É UM HORROR nesse quesito. Mas ok, até dá pra ignorar um pouco isso da draw distance, mas algo que é extremamente irritante é o fato dos inimigos atirarem em você LITERALMENTE 1 SEGUNDO depois de te verem, e isso acontece nem 1, 2, 3 ou 4 vezes... acontece o JOGO TODO. E se tem algo que os inimigos dão em ti ao decorrer das fases, é dano. Muito. Dano. Então tu imagina que ser atacado por um inimigo em menos de 1 segundo depois de ele te ver não deve ser a sensação mais prazerosa do mundo, ainda mais quando tu morre, e pode ter certeza que tu vai fazer bastante isso ao decorrer do jogo... morrer. Se tem uma coisa que Medal of Honor fica ao progredir dele é FRUSTRANTE e INJUSTO várias vezes. Eu perdi a quantidade de vezes que, por exemplo, um inimigo DE BAZUCA, MALDITO, escondido pela draw distance FORTE do jogo, me deu um tiro de bazuca na BOCA e eu MORRI e tive que começar do COMEÇO da fase. E tem isso também, o jogo não tem checkpoint nenhum. Absolutamente. Nenhum. Então tu tá lá, todo pá, com munição, vida e confiança de que tá prestes a terminar a fase, chegando no fim dela, quando de repente tu é acertado por um tiro de bazuca que tu NEM VIU DA ONDE VEIO e morre... recomeçando a fase toda. Ou tu tá lá, no fim da fase, com um pitequinho de vida, com 1 só inimigo sobrando pra tu poder passar, e ele vai pra cima de você e literalmente, num piscar de olhos, te mata. É como eu disse, esse problema da draw distance é completamente perdoável, mas esse dos inimigos atirarem em ti 1 segundinho depois de te verem é ridículo. Falando parece que eu sou um chato desgraçado leite com pera, mas experimenta jogar e isso acontecer contigo pra tu ver se tu não vai ficar extremamente frustrado, cara. Mas bem, no fim do dia, Medal of Honor é SENSACIONAL, mesmo com esses defeitos foi uma experiência incrível que eu gostei de mais de ter. Senti uma nostalgia imensa quando comecei a jogar e um vício enorme surgiu, mas agora, com o jogo finalizado, me vejo colocando-o de volta na capinha, deixando-o com muito amor, carinho e dúvida se ele vai continuar pegando daqui uns 2 dias, e começar a procura do Medal of Honor: Underground. Sim. Eu vou tentar pegar todos da franquia. Mas antes eu tenho que terminar Papers, Please e Duke Nukem 3D, tô pra zerar eles faz 1 mês já. Qualquer coisa eu coloco uma reviewzinha deles aqui também, por que não? Não que real alguém vá querer ler mas é mais pra eu me sentir bem comigo mesmo AHUDHASDHA. Obrigado à ti que leu até aqui, sério, obg mesmo, espero que eu tenha te feito rir só um pouquinho com esse TESTAMENTO que eu escrevi. Tmj S2

  • Capa de Assassin's Creed Assassin's Creed
    no
    360
    há 1 ano

    Joguei ele há uns meses, tava muito animado já que eu queria já jogar o primeiro AC à mais de uns 2 anos. Agora, valeu a pena ou eu quebrei a cara? Bem, valeu a pena mas eu quebrei a cara no processo. De verdade rapaziada o maior problema do jogo é a repetição. Se tu chegar pra qualquer fã de AC e perguntar "velho, tu me recomenda AC 1?" ele provavelmente vai responder "não", e com razão, porque depois de umas horas a repetição do jogo começa a ficar INSUPORTÁVEL. Você faz as mesmas missões de novo e de novo e de novo, pra matar os alvos em batalhas sem praticamente emoção nenhuma, pra depois disso continuar nesse looping de missão e assassinato, missão e assassinato, missão e assassinato. Eu não tô falando que AC1 é horrível, pô de forma alguma. É um jogo gostosinho de jogar... nas primeiras 5 horas. Depois disso fica um tédio. Agora pra ser justo, a OST é ótima, os gráficos são muito bonitos e até hoje conseguem se sustentar até, e o combate por mais que repetitivo é legalzinho. Agora, recomendo AC1? Não, se possível passa pro 2 e vê um vídeo contando a história do primeiro.


  • Muito bom, de verdade. Eu tive a oportunidade de jogar ele naquela promoção que a Steam fez no começo dessa pandemia, aonde todos os Half-Life's ficaram de graça por um tempo limitado. Nessa promoção eu consegui zerar o HL1, HL2, HL: Blue Shift e esse HL, e posso dizer que foram todas experiências incríveis. É muito legal ver como tudo acontece na visão das pessoas que tão caçando o Gordon, além de o Adrian ser um personagem bem interessante, que infelizmente nunca mais apareceu depois desse jogo. Realmente uma pena : (. O jogo introduz inimigos novos bem interessantes, como pro exemplo uma criatura cabulosa que dá lança umas bolas de plasmas bizonhas em você que dão um dano maldito. Esses malditos são difíceis de matar. Além das armas novas que o jogo tem, como por exemplo a chave inglesa (se não me engano esse é o nome dessa chave), que substitui o pé de cabra. A soundtrack é praticamente a mesma coisa do HL1, pouquíssimas músicas, com o jogo focando mais em sons ambientes. Isso não é uma reclamação, de jeito algum! Particularmente eu não vejo problema algum com o jogo focar em sons ambientes, muito pelo contrário, acho até que dá um charme a mais pro jogo. A gameplay é a mesma coisa do HL1, sério. Nada muda, os controles continuam ótimos, totalmente responsivos. Os gráficos continuam também a mesma coisa, nada mudou, nenhum avanço ou piora. Notei um pequeno aumento na dificuldade do jogo, o que eu gostei. Afirmo que Half-Life: Opposing Force é um dos melhores jogos que eu já tive a oportunidade de jogar, e mesmo sendo muito mais curto do que o primeiro HL, não vejo como isso poderia tirar a diversão que você vai ter jogando ele. Super recomendo!

Ler todas as análises (17)

Entre no nosso servidor do Discord