• Capa de Grand Theft Auto III Grand Theft Auto III
    no
    PS2
    há 1 ano

    Adore ou odeie, GTA III foi um jogo revolucionário, a Rockstar deu tudo de si para a produção deste jogo e o resultado foi um sucesso. A chegada de GTA ao mundo 3D foi extremante impactante em 2001, pois tratava-se de algo totalmente diferente da realidade da época. Imagine a representação de uma das maiores cidades do mundo em um simples videogame no qual o jogador pode desfrutar de um mundo aberto para ser explorado dá forma como bem entender, podendo andar em carros, motos, barcos e até aeronaves... tamanha liberdade encantou jogadores do mundo todo e o resultado não poderia ser outro que não um sucesso. Sobre o jogo em si, retratou muito bem a essência do jogo, possibilitando que comandemos um personagem envolvido em meio ao roubo, tráfico, etc. que busca crescer de patamar nesse meio e também realizar algumas vinganças. A história e algumas missões são interessantes, mas nada épicas ou muito impressionantes, uma pena que o personagem principal praticamente não interage, pois a dublagens e os sons no geral foram bem feitos. A representação de Nova Iorque (Liberty City) está longe da perfeição, mas para os padrões da época está mais do que suficiente e o ambiente foi muito bem retratado. Pode não ter uma história envolvente e ter faltado polimento, mas por toda a inovação que representou para a franquia e para os jogos do futuro, trata-se de um jogo incrível... e só diz que não é um jogo divertido quem não o jogou na época de lançamento ou tem algum preconceito com o jogo, pois era o sonho de todo garoto e até mesmo adultos estar no comando de Claude.


  • Um jogo que divide opiniões, assim como divide a minha. Se por um lado eu não gostei nada da falta de animações, diálogos, fatalities... enfim, de um trabalho mais polido, por outro o jogo traz uma diversidade de personagens, arenas e modos de jogo que certamente fizeram com que os fãs da franquia matassem o desejo de jogar com quem e como quisessem. O jogo também seguiu apostando no estilo 3D, que agrada alguns e não agrada outros. Eu particularmente gosto, mas entendo que não foi assim que Mortal Kombat se caracterizou. Enfim, faltou polimento, mas o jogo é bom, o combate foi bem feito e o modo Konquest é bem legal. Então fica assim, se você gosta de um Mortal Kombat mais tradicional, com animações, personagens e duelos mais vivos, não jogue o MK. Armageddon; mas se vc quer diversidade de opções para se fazer no jogo e gosta de luta em 3D, eu com certeza indico.

  • Capa de Far Cry 4 Far Cry 4
    no
    One
    há 1 ano

    Far Cry 4 dá sequência ao ótimo Far Cry 3 e não decepciona. O jogo se passa em um locais mais impressionantes do planeta, o Himalaia. Trata-se de uma região surpreendente e pouca explorada pelos jogos em geral. Desde o início, nota-se que o jogo foi muito bem produzido. A saga de Ajay já se inicia com muitas informações e metas a serem cumpridas, o jovem que apenas queria levar as cinzas da mãe para um determinado templo, acaba caindo nas mãos do então rei do local, Pagan Min, comandante do exército real. Ajay, então, se depara com um grupo de rebeldes que luta pelo controle da região; a partir disso, Ajay começa a se aventurar por Kyrat em busca de libertar a região. No que diz respeito a história e missões principais, Far Cry 4 fica abaixo de Far Cry 3, porém, o jogo traz histórias e missões secundárias muito mais divertidas e bem planejadas do que as do antecessor, o que torna o jogo uma excelente opção para quem deseja passar horas se aventurando por Kyrat. Enfim, no geral é um jogo excelente e sem pontos fracos, missões diversas em uma região única e de cultura única, talvez não tão intenso e com protagonistas principais menos marcantes, mas um jogo equilibrado, com bom enredo, com muita coisa pra fazer e que proporciona uma aventura única.

  • Capa de Far Cry 3 Far Cry 3
    no
    360
    há 1 ano

    O responsável pelo salto de qualidade na franquia. Far Cry sempre foi um jogo de muito potencial, mas faltavam missões e narrativas mais envolventes. No Far Cry 3 esses problemas não só foram solucionados, como foram muito bem explorados. O jogo contém diversos elementos que nos instigam a querer jogá-lo. A saga de Jason Brody para resgatar seus amigos e a si próprio começa de maneira frenética, colocando nossa adrenalina em 100% desde o início. A progressão da história, então, consegue manter o padrão inicial ao longo da trama, as missões de resgate, em busca de informações e destruição dos inimigos nos fazem sentir um gosto de quero mais a cada nova missão completada, e o melhor? O jogo oferece mais! Poucas vezes vi um jogo tão alucinante do início ao fim. Mas não para por aqui, o jogo também foi muito bem estudado, o clima equatorial da ilha é exemplo disso. As ilhas foram muito bem detalhadas e o ambiente é imersivo, a paisagem, os animais, as plantas, nativos, construções... Tudo isso foi bem feito. Definitivamente é um ótimo ambiente para um jogo de ação, no qual sentimos a melhor adaptação/evolução do personagem principal com o passar do tempo. E é claro que não dá pra deixar de citar os antagonistas do jogo, em especial Vaas, o pirata é sem dúvida um dos melhores personagens da história dos jogos, suas armadilhas e interações são inesquecíveis, uma pena apenas que o duelo final não tenha sido tão épico, mas continua sendo um ótimo enredo, do qual quem joga não se esquece.

Ler todas as análises (18)

Nos acompanhe!